sexta-feira, 1 de abril de 2011

Saliências

Quero teu ciúme doente,
teu choro sincero,
teu desespero,
o apelo do órgão inchado
Teu velho teatro de adeus.
Teu velho teatro de adeus.

Quero tua crise de dor,
implorar teu amor,
desgraçar o meu peito,
pedir por respeito,
Teu velho teatro de adeus.
Teu velho teatro de adeus.

Quero virar o estômago,
a mazela do apego,
a discórdia do sopro
no ouvido, o duvido,
a nuca.

Vou dizer saliências,
dizer saliências
e perder paciências,
perder paciências.

Quero virar o estômago,
a mazela do apego,
a discórdia do sopro,
no ouvido, o duvido,
a nuca.

2 comentários:

  1. O apego e suas mazelas. Muito bom! Nesse ponto Rafa, vc sabe como eu gosto de ver relacionamentos: é cada sentimento que nos desvia, que machuca, mas que queremos mesmo assim.

    É mto massa!

    Bejo

    ResponderExcluir